As segundas-feiras deprimentes

As segundas-feiras são deprimentes para mim.

Eu parto sempre do princípio que todos os que lêem estes meus devaneios, sabem que expresso apenas a minha opinião, os meus sentimentos e eventualmente até posso inventar um pouco, mas sempre de mim para mim. Ou seja, nenhuma verdade universal é proclamada, teorias, só mesmos as das minhas realidades paralelas, enfim, tudo o que escrevo é a voz do que vulgarmente dizemos me vai na alma. Não pretendo convencer ninguém de coisa nenhuma, gostaria porém que todos estes verbos que escrevo servissem quanto mais não seja, para refletirem a favor, contra, não interessa, pudesse quiçá gerar e girar diálogos, discussões interessantes…

Dizem que eu sou uma pessoa muito teimosa, faço muitas suposições, desconhecendo as coisas na totalidade (que nunca será na totalidade mas…) facilmente julgo e acuso sem estar na posse de todos os dados, do contexto, enfim. Sou arrogante, impulsiva e até pró agressiva… No entanto sou boa pessoa, dizem.

Estas nossas cabeças andam todas muito avariadas. Estes nossos valores têm um mixe muito interessante e claro que, eu não vou dizer o que pensaria de uma pessoa assim porque, não estou na posse de todos os dados, foi-me descrita por uma pessoa que a pode ou não conhecer bem, também não sei em que contexto estaria envolvida a mesma para se revelar assim, e finalmente, eu, que não gosto de fazer juízos de valor, sei lá se a pessoa que a descreveu não passa de uma invejosa com quem até teve um quid pro quo e está possuída de raiva?

Sei lá se afinal sou uma pessoa fantástica inteligente com um sentido de humor sagaz, como diria um querido amigo meu, e se realmente sou mesmo uma grande amiga e uma excelente pessoa?

Por isso não gosto das segundas-feiras. São deprimentes!